Blog Pointer Revestimentos Cerâmicos
Main Navigation
Search Button
Site Pointer
Close Menu

11 dicas para não errar na escolha da cor do rejunte

Assentamento
Autor: Pointer - Data:

O rejunte é um material fundamental no acabamento de obras de reforma ou construção, afinal, ele é utilizado para preencher as juntas e frestas entre as peças de revestimentos.

Vale destacar que, além de cumprir uma finalidade estética, o rejunte oferece certa vedação e atua como impermeabilizante nas laterais de cerâmicas, porcelanatos, pastilhas etc.

Na etapa final de toda e qualquer obra, é preciso escolher com cuidado a cor do rejunte para os pisos e azulejos, a fim de obter um visual equilibrado e esteticamente agradável. Caso contrário, o efeito pode ser bem diferente do esperado.

Existem muitas alternativas disponíveis no mercado e, para ajudá-lo a tomar a melhor decisão diante de tanta variedade, preparamos algumas dicas sobre o que levar em consideração na hora de encontrar o rejunte ideal.

Para isso, leia nosso artigo e veja 11 dicas para não errar na escolha da cor do rejunte. Não perca!

1. Invista na uniformidade

Se você pretende obter um efeito uniforme em seu piso ou na parede, o melhor é escolher a cor do rejunte igual à das peças. Dessa forma, as placas parecem uma só e produzem uma sensação plana e de continuidade.

Por exemplo, se o revestimento das paredes e pisos for branco ou bege, aposte em rejuntes nessas mesmas tonalidades. O mais bacana é que, além de gerar uniformidade, esse recurso cria a sensação de amplitude nos ambientes.

O rejuntamento claro em revestimentos igualmente claros também é uma boa estratégia para quem deseja disfarçar defeitos de assentamento, como recortes, paginação, assimetrias etc.

2. Aposte no contraste

Por outro lado, se o seu objetivo é gerar um bom destaque no chão ou nas paredes, o melhor é optar pela cor do rejunte que mais contrasta com os pisos e azulejos.

Dessa forma, você poderá ressaltar melhor os detalhes, desenhos, bordas, textura e outras características deles.

Você pode combinar rejunte de cor escura (preto-grafite, marrom-café, cinza-outono etc.) com azulejos ou pisos claros (tons off-white, branco, azul-claro etc.) ou vice-versa.

Também é possível gerar contraste com cores opostas no círculo cromático, como rejunte azul-celeste em um piso alaranjado, ou azulejos em tonalidades de roxo com rejuntes puxados para amarelo, como palha, bege ou caramelo (mais escuro).

Lembre-se de que o uso de cores contrastantes chama a atenção para as peças individualmente, enquanto a utilização de tons de rejuntes semelhantes aos revestimentos destaca o ambiente como um todo.

3. Opte por cores que não ressaltem manchas, fungos e sujeira

Quem mora em regiões onde há muita poeira, areia (como na praia) ou obras em construção, pode ter problemas com rejuntes sujos, manchados ou com muito pó.

Nessas situações, o melhor é optar por tons mais escuros que disfarçam melhor a sujeira e, especialmente, as manchas.

No caso da praia, existe também a possibilidade de usar a cor de rejunte “areia” para disfarçar. O mesmo vale para regiões muito úmidas, que favorecem a proliferação de fungos e até musgo nos rejuntes. De qualquer forma, tente fazer limpezas regulares e cuidadosas em cada trecho de rejunte da residência, ou adquira rejunte resistente aos fungos.

4. Prefira tons neutros se o foco for algo mais básico ou formal

Contudo, se você deseja um ambiente básico ou formal, o melhor é priorizar os tons neutros, em especial as variações de cinza, como cinza-ártico, cinza-outono, cinza-platina, cinza Dallas etc.

Embora sejam mais conservadoras, as cores neutras oferecem muitas vantagens, incluindo a versatilidade e a atemporalidade.

Além de combinarem com várias outras tonalidades, elas nunca saem de moda e podem ser usadas em todos os ambientes da casa, independentemente do estilo decorativo.

5. Conheça as principais cores de rejunte disponíveis no mercado

Para fazer uma escolha certeira, o ideal é conhecer as várias possibilidades existentes. Além das cores de rejunte citadas acima, há outras opções no mercado, tais como:

  • camurça;
  • cerâmica;
  • verde-água;
  • argila;
  • chocolate;
  • ocre;
  • salmão.

diferentes tipos e combinações de rejuntes e pisos

6. Compre uma pequena quantidade para testar

As tonalidades dos rejuntes podem apresentar variações significativas entre o que se vê na tabela ou na embalagem e a cor real, depois que o material é preparado e aplicado.

Sendo assim, para minimizar as chances de arrependimentos, compre apenas um pacote e teste o rejunte em uma pequena área. Se você gostar do resultado, adquira a quantidade necessária para fazer o acabamento.

7. Avalie a facilidade de limpeza no dia a dia

Para quem deseja fugir do visual encardido dos rejuntes ou do temido limo que se acumula em ambientes úmidos, é indispensável ficar atento a algumas questões que vão além das cores.

Nesse caso, dê preferência a rejuntes com propriedades impermeabilizantes e antimofo. Eles evitam a formação de manchas e impedem que a sujeira fique impregnada.

Outra boa estratégia é não usar tons que evidenciam a sujeira, preferindo os rejuntes escuros em vez do branco total. O off-white é uma solução para quem quer cores claras mas deseja evitar o encardimento.

8. Considere as especificidades da área de aplicação

O rejunte vai ser aplicado no piso, na parede ou em bancadas? Qual é a finalidade do cômodo? O espaço é muito utilizado e tem grande trânsito de pessoas? Refeições são preparadas ali e o local está sujeito a respingos de molho e gordura? Qual é o estilo decorativo? Quais são as cores dos outros elementos do lugar? Todos esses detalhes devem ser considerados na hora de escolher.

As áreas muito movimentadas e expostas à sujeira devem, preferencialmente, contar com rejuntes de cores mais escuras. Quanto ao estilo da decoração, a tonalidade deve acompanhar a proposta.

Em ambientes modernos e divertidos, o contraste é sempre bem-vindo. Em um espaço clean, tradicional ou clássico, invista em uma cor só.

9. Cogite a possibilidade de variar os tons

Quem disse que a casa inteira precisa ter apenas uma cor de rejunte? Se os revestimentos são diferentes, o rejuntamento também pode ser.

Vamos supor que a área gourmet seja revestida com um piso de linha rústica e a sala de estar tenha um revestimento claro e sofisticado. No primeiro caso é possível optar por um rejunte marrom e, no segundo caso, por um cinza-claro, areia ou off-white.

10. Preste atenção nas cores das embalagens

Outro ponto importante que devemos prestar atenção são as cores das embalagens. Esse ponto é fundamental para evitar enganos e frustrações, principalmente em relação à cor do rejunte.

Não é recomendado escolhê-la por meio de uma cartela de cores, pois elas apresentam tons mais vivos e não correspondem com a realidade, ou seja, com o resultado que será visto na obra.

Sendo assim, o ideal é saber exatamente qual é a cor do rejunte. Para isso, é preciso conversar com os vendedores e solicitar uma amostra.

Na hora de comprar o material, uma dica interessante é pedir ao vendedor que coloque o rejunte entre as peças de cada tipo. Isso ajuda a visualizar a harmonia entre eles.

Você precisa escolher de acordo com o destaque que quer dar ao revestimento. A utilização de rejunte da mesma cor deixa o ambiente mais homogêneo, enquanto as cores contrastantes realçam as peças.CTA_Paleta-de-cores-um-guia-para-escolher-os-tons-certos-na-decoração_final

11. Avalie mais do que a cor do rejunte

Não podemos deixar de mencionar que a cor do rejunte não é o único aspecto a ser avaliado durante a escolha do produto. É preciso ficar atento às particularidades de cada tipo e, principalmente, ao ambiente em que ele será aplicado.

Existem três tipos de rejunte: os de base cimentícia, os de resina acrílica e os de resina epóxi, cada um com sua especificidade. A escolha do rejunte depende diretamente do tipo de obra e do que é pretendido para cada ambiente.

Rejunte de base cimentícia

O rejunte de base cimentícia é formado por argamassas industrializadas, produzidas e coloridas com cimento, agregados minerais, aditivos e pigmentos inorgânicos.

Esse tipo de rejunte é utilizado para preencher juntas de assentamento de revestimento, de acordo com as espessuras definidas.

O rejunte de base cimentícia é ideal para a aplicação em fachadas, pois este material consegue eliminar a água existente na construção.

Rejunte à base de resina acrílica

Esse material é para uso imediato, sendo fácil de aplicar, principalmente pelo fato de já vir pronto. A própria embalagem já ajuda na aplicação.

Em áreas que entram em contato moderado com água e umidade, como banheiros, cozinhas, lavanderias e garagens, é ideal a aplicação do rejunte de base acrílica. Ele permite a impermeabilização de todo o ambiente. Mas o material não é adequado para piscinas nem para fachadas.

Rejunte à base de resina epóxi

O rejunte à base de resina epóxi nada mais é do que uma argamassa industrializada composta por três elementos principais: o pó, a resina e o endurecedor. Assim, é necessário contar com mão de obra especializada para a sua aplicação.

Esses materiais se misturam formando uma textura com acabamento muito liso, fácil de limpar e que apresenta uma aderência excepcional, além de alta resistência química e mecânica.

O rejunte à base de resina epóxi não deve ser utilizado em fachadas. Esse tipo de material é capaz de vedar 100% da junta, se tornando impermeável. Contudo, a fachada precisa “respirar”, por isso esse material não é adequado.

Por fim, mas não menos importante, devemos destacar que todos os tipos de rejunte podem ser aplicados a materiais específicos, como porcelanatos, pisos, revestimentos cerâmicos, pedras naturais e pastilhas de porcelana.

Somente as pastilhas de metal, inox e pastilhas espelhadas exigem um tipo especial de rejunte, que não arranha e não danifica as peças no momento da instalação.

Seguindo essas sugestões, você conseguirá o efeito desejado no seu piso ou nos azulejos da parede, deixando o ambiente mais agradável e de acordo com suas preferências.

Quando for realizar o planejamento financeiro da obra, lembre-se de separar um valor adequado para a aquisição do material.

Além da cor do rejunte, deve-se observar também a qualidade do revestimento, para que ele seja durável, resistente e impermeável — especialmente se for aplicá-lo em uma área externa.

E aí, gostou das nossas dicas sobre como escolher a cor do rejunte? Aproveite que já está aqui e confira nosso conteúdo que ensina como obter sucesso ao assentar pisos cerâmicos. Não perca essa oportunidade.

#VivaSuaCasa #DesignDemocrático #DicaPointer #Decoração #MaisDesignEmSuaVida